Notícia

SEFAZ

Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas
Sexta, 09 February 2018 18:45
DESENVOLVIMENTO

Standard & Poor´s atribui rating de crédito para o Estado de Alagoas igual ao do Brasil

Empresa aponta que administração de Alagoas diminui riscos da fraca economia

Publicação destaca perspectiva estável reflete nossa visão de que Alagoas continuará registrando superávit operacional Publicação destaca perspectiva estável reflete nossa visão de que Alagoas continuará registrando superávit operacional Márcio Ferreira
Texto de Ascom Sefaz

Pela primeira vez, Alagoas possui uma avaliação externa de risco. Divulgada por uma das maiores agências de rating internacional, a Standard & Poor's, em escala global, a nota “BB-“ do Estado, foi publicada nesta quinta-feira (8) e é a mesma atribuída ao país.


Entre os critérios utilizados para compor o estudo, os tópicos melhor avaliados foram gestão financeira e desempenho orçamentário. O resultado foi alcançado a partir de dados fornecidos pelo Estado. Economia, segurança, saúde e informações históricas sobre aspectos sociais ajudaram a agência a compor um panorama completo da atual situação alagoana. O objetivo do estudo foi verificar o risco de crédito que o Estado oferece, bem como suas possibilidades de desenvolvimento a curto e longo prazo.


De acordo com o relatório publicado pela empresa, Alagoas tem mantido superávit tanto operacional quanto depois de realizado investimentos, mesmo com as condições socioeconômicas desafiadoras e das restrições orçamentárias. A redução da carga de dívida e os altos níveis de caixa também refletem as práticas de gestão financeira razoavelmente prudente do estado.


“A perspectiva estável reflete nossa visão de que Alagoas continuará registrando superávit operacional e após capex [investimentos], em meio à redução na carga de dívida e aos níveis de caixa que cobrem confortavelmente o serviço de sua dívida nos próximos 12 meses”, segundo publicação.
Acrescenta ainda que os ativos líquidos e o caixa líquido de Alagoas são suficientes para cobrir 1.5x do seu serviço da dívida nesse período, que estima-se em torno de R $ 530 milhões, sendo fruto de uma experiente administração que vem implementando importantes mudanças fiscais, desde que o governo Renan Filho assumiu em 2015.

A S&P relata que a administração vigente implementou medidas para fortalecer a arrecadação e modernizar a gestão pública, reduzido o quadro de funcionários em órgãos estatais e cortando gastos em várias frentes. Além disso, a Secretaria de Fazenda vem empregando esforços para utilizar ferramentas de transparência e compliance nas contas públicas, entre outros instrumentos de planejamento fiscal de médio prazo, fatores que pesaram positivamente para a nota.


A empresa ressaltou que apesar do Estado ser um dos mais pobres do país, tem buscado formas de diversificar sua economia, mediante estímulo aos setores de produtos químicos, plástico, cerâmica e móveis. Mas ao mesmo tempo isso exerce uma pressão nos gastos pela necessidade de dotar o Estado de uma infraestrutura e a S&P estimou que Alagoas gastará cerca de 3 bilhões com saúde, educação, rodovia e saneamento básico.


A agência internacional constatou também que com o amplo apoio do legislativo local, o governador Renan Filho conseguiu aprovar reformas relevantes, como limite de gastos e reforma previdenciária, a exemplo da previdência complementar do Estado.