Notícia

SEFAZ

Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas
×

Aviso

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 1017
Quinta, 25 November 2021 19:38

Sefaz Alagoas deve concluir segunda fase do sistema de inscrição estadual em dezembro

Operador nacional foi criado visando abreviar e simplificar os procedimentos para abertura de empresas Operador nacional foi criado visando abreviar e simplificar os procedimentos para abertura de empresas Divulgação

Os processos de inscrição estadual passaram a ser realizados, neste ano, pela Junta Comercial, utilizando a Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). Diariamente, a Secretaria da Fazenda (Sefaz-AL) processa mais de 200 solicitações de abertura de empresas, pedidos de alteração cadastral e processos de baixa. Até dezembro de 2021, a segunda fase de implantação do Redesim deve ser concluída no órgão.

Nesta nova etapa, são contemplados 22 eventos para solicitar alteração de dados cadastrais e pedidos de baixa. Para o primeiro quadrimestre de 2022, estão planejadas ações que visam melhorar a comunicação entre contribuintes e a Sefaz, aperfeiçoando as telas de acompanhamento e o retorno sobre os pedidos cadastrais.

Através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. é possível sanar todas as dúvidas referentes à inscrição estadual, inclusive solicitar análise detalhada dos fatores de concessão automática ou alteração cadastral pretendida. Para agilizar a identificação e o atendimento, o contribuinte deve informar o protocolo Redesim e CNPJ da empresa.

O superintendente de Tecnologia da Informação, Marcelo Malta, explica que, em alguns casos, as solicitações ficam aguardando a chegada de informações, o que pode implicar em demora para concessão de inscrições, por conter vários atores envolvidos que precisam validar informações em diversos níveis. Entretanto, esses casos são inferiores a 5% do total mensal e podem ser acompanhados diretamente no software disponibilizado aos contribuintes pela Junta Comercial.

Frisa-se que o operador nacional foi criado pelo Governo Federal com a finalidade de abreviar e simplificar os procedimentos para abertura de empresas, dando celeridade ao fluxo de dados entre os entes envolvidos, que contemplam: as administrações tributárias no âmbito federal, estadual e municipal, Juntas Comerciais, Cartórios de Registro Civil de Pessoas Jurídicas, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), além dos órgãos licenciadores como Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e Meio Ambiente.