Sefaz lança nova edição do boletim do movimento econômico em Alagoas - SEFAZ - Secretaria da Fazenda do Estado de Alagoas
Notícia

SEFAZ

Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas
×

Aviso

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 1017
Sexta, 09 October 2020 19:41

Sefaz lança nova edição do boletim do movimento econômico em Alagoas

Boletim Econômico é lançado nesta sexta-feira (09) pela Secretaria da Fazenda Boletim Econômico é lançado nesta sexta-feira (09) pela Secretaria da Fazenda Divulgação

A Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas lança o novo boletim do movimento econômico em Alagoas, constatando que as atividades econômicas de atacado, varejo e indústria, obtiveram um crescimento nominal, em conjunto, de 14% no mês de setembro/2020 em relação ao mesmo período do ano anterior.

O órgão analisou os documentos fiscais eletrônicos emitidos no período, avaliando os efeitos das medidas de regulação das atividades econômicas no período da pandemia, na economia do Estado.

O Varejo apresentou crescimento de 22% no seu total. Todas as atividades deste segmento tiveram destaque positivo, se destacando o comércio varejista de mercadorias (59%), lojas de departamentos (45%), material de construção (44%), comércio varejista de alimentos (37%), e hipermercados/supermercados (28%).

Já a atividade de Atacado teve aumento de 16% no seu total, com ênfase positiva no comércio atacadista de açúcar (175%), material de construção (39%), atacadista de alimentos (37%) e atacadista de bebidas (13%). Neste segmento, apenas as atividades de atacadista de fumo (-12%) e de mercadorias (-3%) apresentaram índices negativos.

No segmento industrial houve resultado positivo geral de 6%. Verificou-se a evolução das quatro atividades mais significativas, tendo se destacado positivamente a indústria de material de construção (48%), fabricação de bebidas (45%), produtos químicos (32%) e fabricação de alimentos (16%).

Destacaram-se negativamente as atividades de fabricação de cloro e álcalis (-49%), petróleo e gás (-40%) e fabricação de açúcar (-23%). Apesar da safra da cana de açúcar começar neste mês de setembro, observou uma queda em comparação com o ano de 2019.